Category Archives: A.

Sobre o Fim De Semana

Este fim-de-semana foi mais preguiçoso que o normal. Até o pequenito alinhou e dormiu até às 8h30 da manhã.

Sim, para os que estão habituados a ficar na cama até ao meio dia isto (também já fui dessas, mas tenho a sensação de que foi noutra vida) parece de madrugada, mas acreditem quando vos digo que 8h30 é MUITO bom.

Foi uma manhã vagarosa, almoço em família, sesta depois de almoço (o A. dormiu e eu aproveitei para descansar também) e no final do dia fomos aproveitar o sol e as vistas aqui da vizinhança. Fomos até à Vila de Azeitão passear, esplanar e petiscar qualquer coisa.

Embora ainda nenhum de nós esteja de férias, acho que já estamos no espírito lento do verão e a antecipar as férias e os momentos de descanso que aí vêm. E que venham logo!

IMG_20170730_170431IMG_20170730_173636IMG_20170730_171536IMG_20170730_171826IMG_20170730_174454

Mala de passeio do bebé

86369695386488b3c73bf58ea11153d5

Roubada ao Pinterest

O A. já está crescidinho e cada vez saimos mais com ele e fazemos mais passeios. Como imaginam, a logística para sair com crianças pequenas é muito diferente e pode-nos levar à loucura. eheh

Fomos passar o fim-de-semana fora e arriscámos dormir com uns amigos num parque de campismo. É cedo para ele dormir numa tenda, por isso optámos por um bungallow. Mesmo assim é preciso levar muita coisa connosco e ter sempre uma mala bem organizadinha para não faltar nada nos passeios que pretendemos fazer.

Deixo aqui uma lista do que acho essencial levar na mala de passeio de um bebé, tendo em conta a experiencia com a L. e com o A. (depois há mil e uma coisas que tenho de levar quando vou passar noites fora com eles, mas isso fica para outro post):

  • Fraldas (depende do espaço que temos e do tempo que vamos ficar fora, mas pelo menos 5 tenho sempre comigo)
  • Mudas de roupa (pelo menos duas e se for um bebé que bolsa muito é melhor levar mais)
  • Muda fraldas (um daqueles mini-colchões para deitar o bebé enquanto se muda a fralda ou mesmo um descartável. Ajuda muito, especialmente quando queremos mudar a fralda em sítios mais duros ou desconfortáveis para o bebé)
  • Saco para roupa suja e afins (no final do dia este saco costuma vir cheio de roupa para lavar… Enfim!)
  • Chucha (como o A. usa chucha, eu costumo levar sempre mais uma na mala de passeio, para o caso da que ele tem cair e eu não ter logo onde lavar)
  • Snacks (entre os refeições ou enquanto espera que o comer dele esteja pronto, o bebé pode ficar um bocado impaciente e eu gosto de ter qualquer coisa à mão para ele se entreter enquanto espera, como fruta ou bolachinhas)
  • Água (uma garrafa pequena ou biberão)
  • Toalhitas (servem para mudar a fralda e não só: limpar mãos, cara, pés, mesas, cadeiras, cadeirinha de passeio, nódoas da nossa roupa e da roupa deles…)
  • Fralda de pano (uma ou duas. Dão sempre jeito para limpar o bebé, para adormecer o bebé ou para o tapar, por exemplo)
  • Chapéu e protector solar (no verão tenho sempre comigo)
  • 1 Brinquedo (não acho que valha a pena levar um monte de brinquedos para um bebé pequeno, mas qualquer coisa pequena, que não pese na mala e que saiba que ele vai ficar entretido por algum tempo)
  • Arnidol (se tiverem uns “artistas” como os meus, é melhor ter por perto uma pomada para quedas e nódoas negras. Sou fã da Arnidol)
  • Soro (para o nariz ou mesmo para limpar alguma zona mais sensível)

Isto é aquilo que não pode mesmo faltar na mala dele (nossa), mas acredito que outras mães tenham ideias diferentes. O que me sugerem mais?

 

Papa de Kiwi e Banana

O A. fez um ano e neste momento já pode comer de tudo (desde que saudável, claro). É aquela fase em que quero que ele experimente um mundo de coisas novas e que me perco em receitas novas para tornar tudo mais apetitoso para o moço.

Por opção não lhe dou alguns alimentos (e com autorização da nossa pediatra também) e vou dando outros que não são tão “normais”. A lista de papas, sopas, purés, pedacinhos crus ou cozidos é imensa nesta nova fase e é uma descoberta para mim e para ele.

Nos últimos dias já experimentou o pêssego, o tomate, o grão, as ervilhas, os iogurtes naturais de leite de vaca e o leite de arroz. Como podem ver, são coisas que muitos miúdos mais novos já comem, mas que por aqui a pediatra só aconselhou a introduzir agora.

Hoje tentei introduzir na alimentação do A. o Kiwi. Como é uma fruta um pouco ácida, resolvi procurar papas diferentes para oferecer esta fruta ao pequenito e habituá-lo ao novo sabor. A minha ideia era manter o sabor do kiwi, para perceber se ele gosta ou não, mas adoçar a papa de alguma forma. Depois de alguma pesquisa este foi o resultado:

Papa de Kiwi e Banana:

Uma banana pequena

1 Kiwi

Preparação: cortar a banana e o kiwi aos pedaços pequenos e bater tudo junto até ficar com a consistência de uma papa.

O A. comeu tudo e acho que ficou bastante doce só com a banana pequena, mas eu achei muito ácido na mesma (se calhar porque não gosto nada de Kiwi).

Ficou com uma consistência um pouco mais líquida que as papas que costumo fazer, mas ele comeu muito bem. 🙂 Dei metade simples e metade com iogurte.

Com iogurte

Sem iogurte

 

Primeiro ano de vida

Parece que foi ontem, mas o nosso mai piqueno já fez um ano. Comemorou este fim-de-semana o seu primeiro aniversário e portou-se muito bem.

Optámos por fazer um almoço só com a família mais próxima e alguns amigos. Comprámos o bolinho e as decorações todas para o pequenito, fiz um álbum com algumas fotos desde que ele nasceu até ao mês do seu aniversário e levei para o almoço para partilhar com todos e guardei algumas mensagens de parabéns e felicidade que os convidados deixaram para o A.

Um ano passou a correr e já começo a ver o meu bebé a “desaparecer”… Já começa a querer dizer algumas palavras e a querer correr tudo. Está mais teimoso e com a mania que já sabe o que quer. Cada vez usa menos o biberão e qualquer dia deixa as fraldas…

Ai, coração de mãe! 😛

A vida

Estive alguns dias desaparecida da blogosfera (como dizia alguém : aconteceu a vida!) e hoje vim colocar a minha leitura de blogs em dia e reparo que aconteceu tanta coisa: dietas novas, receitas que quero experimentar, blogs a serem reformulados, livros novos que foram lidos e comentados, baleias azuis e rosa,  bebés de blogs que costumo seguir que já parecem enormes, mamãs grávidas novamente, férias em destinos de fazer inveja… 

Calma gente! Assim não vos acompanho!

Por aqui continuamos a viver calmamente e a tentar aproveitar a vida: o trabalho multiplicou-se, o filho mais novo começou a querer gatinhar (qualquer coisa entre gatinhar e arrastar o rabo), a filha mais velha e a mãe deram um valente corte no cabelo enquanto esperam que o verão chegue, a família toda tem sofrido com a chegada de novos dentes ao membro mais novo da família, temos ocupado bastante os fins de semana entre limpezas de Primavera e passeios com a família e os amigos… 

Enfim, a vida vai acontecendo e eu vou partilhando convosco os momentos que me dão vontade de falar e recordar. 🙂 

Bom final de semana! 

Baby food

Estamos na fase dos purés e das sopas. O A. anda todo contente a experimentar novos sabores e novas texturas todas as semanas.

A alimentação dos bebés é para mim um tem, quase, tabú. Cada pediatra e cada mãe/pai sua sentença e ai de quem vem dar opiniões contrárias. Às vezes até me pergunto como podem pediatras do mesmo país, que estudaram mais ou menos o mesmo, terem opiniões tão diferentes?!?

Como me desenrasco eu? Escolhi uma pediatra à minha medida e lá vou seguindo as indicações que ela me dá.

A pediatra do A. é a mesma da L. e é uma médica que acredita nos benefícios da alimentação natural e o menos processada possível. Recomenda a introdução gradual dos alimentos, papas só caseiras, fruta sim mas que não venha em boiões, leite de vaca só lá para os três anos e se optar por uma bebida vegetal em vez de leite ela não se chateia nada, açúcar (quando a criança tiver idade) quanto menos melhor…

Claro que se quiser empanturrar a criança de Cerelac e Bledina ela não deixa de acompanhar a criança, mas não é de todo o que ela recomenda.

Para muitos pais isto será exagero e o melhor é nem discutir o que as criancinhas comem e quando, mas para mim é um descanso saber que a médica que acompanha os meus filhos defende o mesmo estilo de vida que eu.

E por aí, quem já ouviu um “com essa idade e ainda não come isto ou aquilo”?

Eu sorrio e sigo caminho sossegadinha.