Tag Archives: Alimentação

Papa de Kiwi e Banana

O A. fez um ano e neste momento já pode comer de tudo (desde que saudável, claro). É aquela fase em que quero que ele experimente um mundo de coisas novas e que me perco em receitas novas para tornar tudo mais apetitoso para o moço.

Por opção não lhe dou alguns alimentos (e com autorização da nossa pediatra também) e vou dando outros que não são tão “normais”. A lista de papas, sopas, purés, pedacinhos crus ou cozidos é imensa nesta nova fase e é uma descoberta para mim e para ele.

Nos últimos dias já experimentou o pêssego, o tomate, o grão, as ervilhas, os iogurtes naturais de leite de vaca e o leite de arroz. Como podem ver, são coisas que muitos miúdos mais novos já comem, mas que por aqui a pediatra só aconselhou a introduzir agora.

Hoje tentei introduzir na alimentação do A. o Kiwi. Como é uma fruta um pouco ácida, resolvi procurar papas diferentes para oferecer esta fruta ao pequenito e habituá-lo ao novo sabor. A minha ideia era manter o sabor do kiwi, para perceber se ele gosta ou não, mas adoçar a papa de alguma forma. Depois de alguma pesquisa este foi o resultado:

Papa de Kiwi e Banana:

Uma banana pequena

1 Kiwi

Preparação: cortar a banana e o kiwi aos pedaços pequenos e bater tudo junto até ficar com a consistência de uma papa.

O A. comeu tudo e acho que ficou bastante doce só com a banana pequena, mas eu achei muito ácido na mesma (se calhar porque não gosto nada de Kiwi).

Ficou com uma consistência um pouco mais líquida que as papas que costumo fazer, mas ele comeu muito bem. 🙂 Dei metade simples e metade com iogurte.

Com iogurte

Sem iogurte

 

A esquisitinha cá de casa 

A L. anda numa fase em que quer comer sempre a mesma coisa, recusa-se a provar alimentos novos e mesmo que sejam alimentos que já conhece, se tiverem outra apresentação, diz que não gosta.
O problema aqui é que nós queremos que ela vá variando as refeições e os sabores. Temos de a contrariar ou convencer em quase todas as refeições e eu farto-me de dar voltas à cabeça para descobrir como fazer coisas diferentes e de que ela goste. No infantário as refeições são variadas, mas os ingredientes são quase sempre os mesmos, os lanches parecem fotocópia e se não for em casa ela não experimenta nada de novo.

Sabemos que no infantário ela come tudo e não reclama, mas em casa dá-lhe o mimo e vêm as esquisitices todas.

As últimas descobertas que fiz foram:
– Sumos de frutas caseiros (só algumas misturas é que resultam) num copo bonito e com palhinha são boa escolha;

– Ovos mexidos vão com quase tudo e pequenos muffins salgados também;

– Panquecas feitas com aveia e alfarroba também são alternativa às panquecas normais, mas têm de ser adoçadas com açúcar porque a criatura não gosta de mel ou stevia. Reclama logo.

– Banana ao lanche ou pequeno almoço pode ser, mas tenho de cortar e a menina come com um garfo. De outra forma dá duas dentadas e diz que não quer mais;

– Bolos com cereais integrais e sem farinha e ovos também dão para a convencer a comer coisas diferentes e fazer de conta que se trata de um bolo igual aos outros…

Tem sido uma animação inventar coisas para ela comer, mas aos poucos lá vou conseguindo.

E aí por casa também há muitos esquisitinhos?

Batata doce

Já há algum tempo que não falava aqui sobre as nossas refeições em família e desta vez não deixo bem uma receita, mas uma sugestão: empadão de peixe com puré de batata doce.

Não somos muito fãs de batata doce, mas temos andado a explorar receitas diferentes com batata doce, para ver se descobrimos a forma ideal de a incluir na nossa alimentação. Vi a receita de empadão com batata doce, resolvi experimentar e gostei bastante do resultado. O truque, para mim, é temperar bem o puré de batata para cortar o doce.

Aqui ficam as fotos da preparação do dito cujo:

img_20170227_1914061

O puré feito com batata e leite morno, bem temperado

img_20170227_1920291

A base de peixe e molho de tomate

img_20170227_1924041

E depois as camadinhas do empadão pronto para ir ao forno

Aceitam a sugestão? E outras sugestões para comer batata doce?

Lanches saudáveis 

Nesta coisa de comer melhor a minha maior dificuldade é encontrar lanches saudáveis. Coisas que possa comer entre as refeições sem peso na consciência. 

Na maioria das vezes opto por levar os lanches comigo,  porque encontrar algo assim à venda é quase um milagre. 

As minhas escolhas passam por:

  • Iogurtes líquidos
  • Queijo fresco
  • Ovo cozido
  • Bolachas de milho
  • Cenoura 
  • Queijinhos tipo “vaca que ri” 
  • Frutas
  • Nozes ou amêndoas 
  • Panquecas de aveia
  • … 

    Acho que estas sugestões mostram que é possível fazer boas escolhas,  mesmo para quem come quase sempre fora de casa. Não acham? 

    Perder peso + fazer escolhas saudáveis 

    Como tinha falado num dos posts anteriores, tenho andado a controlar mais o que como, pensando no bem que me faz,  no nutritivo que é e naquilo que gosto de comer. Para além disso tenho ido ao ginásio com mais frequência. 

    Tinha prometido deixar aqui uma lista do que tenho andado a comer e a evitar.  Aqui fica ela:

    1. Cortar completamente nos doces: sou muito gulosa e adoro um bolinho ou um chocolate quente, mas isso teve mesmo de acabar. Desde dia 2 de Janeiro que a única coisa doce que como/bebo é café com adoçante. O resto cortei mesmo e, até ver, não tem custado nada. 

    2. Evitar os hidratos: sim,  eles são importantes e não os devemos eliminar da nossa alimentação, mas podemos escolher quais comer e o que nos faz melhor. Deixei de acompanhar as refeições com arroz branco, massa ou batata e passei a usar legumes,  massa integral ou arroz integral e batata doce.  Aqui também é importante ter em conta as quantidades que comemos,  claro. 

    3. Legumes e mais legumes: sopas, saladas, snacks a meio da manhã ou da tarde… A maioria das refeições têm legumes. Bons e variados para não enjoar. 

    4. Fruta: a fruta é saudável e faz bem e tem fibras e bla bla bla, mas para o meu organismo não ajuda comer demasiado. Tento não comer mais do que uma peça de fruta por dia. 

    5. Pão: como boa portuguesa,  adoro pão. Esta é a parte que mais me custa,  mas se eu não disser a mim mesma que não posso,  sei que vou acabar por comer pão a todas as refeições. Assim,  passei a comer uma ou duas fatias de pão escuro por dia. Para mim resulta.  Se me disserem que não posso comer nenhum vou ficar muito triste.

    6. Aguinha da boa: pois é. Terminaram os sumos,  as bebidas com gás, as águas com sabores, os néctares de fruta. Bebidas para o dia todo passam por água,  chá e um café ou derivado.

    Este é um plano que para mim resulta. Não quero aqui vender a ideia como sendo ideal para todos ou super saudável,  até porque não sou nutricionista,  mas apenas partilhar o que tenho feito e deixar uma inspiração para quem está a tentar mudar o estilo de vida.

    A minha vontade não é  fazer isto uns meses e voltar ao antigo. A ideia é  manter estas escolhas na maior parte dos meus dias,  porque me parecem mesmo ser a melhores para mim e as que me fazem sentir bem. O que acham? 

    Corpo pós-parto

    989f156267928f26ad908966d3c16f1f

    O A. já tem mais de um mês e o meu corpo começa a dar alguns sinais de recuperação, mas ainda estou muito longe do peso e da forma que tinha antes de engravidar (bem sei que essa transformação não se dá em tão pouco tempo…). Esse é, por aqui, um dos principais objectivos.

    Tenho tentado comer melhor e de forma mais saudável e fazer algumas caminhadas para ajudar a queimar tudo o que ingeri em excesso durante a gravidez. No entanto, o corpo flácido e a falta de músculo só lá vai com exercício a sério e esse ainda não comecei a fazer… Ai a preguiça!

    Muitas mulheres dizem que adoram o seu corpo depois da gravidez e que “agradecem” pelas marcas que a gravidez lhes deixou, pois lembra-lhes um período muito bonito e feliz das suas vidas.

    Bem, eu também me lembro que foi um período muito feliz da minha vida (adoro estar grávida), mas prefiro recordar isso através de fotos e não sempre que olho para um espelho e vejo a minha barriga inchada e flácida.

    Felizmente não fiquei com estrias ou outras marcas do género (com excepção feita à cicatriz da cesariana), mas estou com mais peso do que deveria, ainda não me consigo enfiar na maioria das minhas roupas antigas e isso não me deixa nada feliz ou agradecida. Portanto, é altura de começar a mexer e fazer alguma coisa para mudar a situação.

    Gosto muito de ser mãe, mas de preferência uma mãe saudável e em forma.

    Dicas para perder peso depois da gravidez? Alguém na mesma situação que tenha um plano infalível?

    Salada de verão com molho de iogurte

    Sou rapariga para gostar de um bom prato, bem cheio e gorduroso, mas também há dias em que só me apetece uma salada fresca e saborosa ou uma taça de fruta com iogurte.

    Hoje foi um desses dias em que me apetecia uma refeição fresca, mas que não fosse sem graça. É possível tornar uma salada em algo saboroso e interessante.

    IMG_20160610_202540IMG_20160610_202507

    Isto é tão simples que nem merece receita. É uma mistura de alface, queijo fresco, nozes, cenoura, atum, ovo cozido e maçã, temperada com molho de iogurte. Coloquei vários ingredientes, mas poderia ter feito a salada com menos coisas e teria ficado óptima na mesma. É deixar a imaginação criar e usar aquilo que tiverem à mão.

    Fica aqui a receita que usei para fazer o molho de iogurte (há várias formas de o fazer, mas como adoro mostarda optei por este):

    IMG_20160610_193134

    1 iogurte natural
    2 colheres de sobremesa de mostarda
    Sal, pimenta, azeite e vinagre q.b. (coloco tudo isto um pouco a olho e vou provando e acrescentando o que for preciso)
    1 colher de sobremesa de oregãos (opcional)

    Mexer bem o iogurte, até ficar mais liquido, misturar os restantes ingredientes e mexer até ficar um molho homogéneo. Depois é só colocar por cima da salada ou deixar numa taça para que cada pessoa se possa servir.

    Simples, fresco e saboroso!