Tag Archives: Food

Sobre o Fim De Semana

Este fim-de-semana foi mais preguiçoso que o normal. Até o pequenito alinhou e dormiu até às 8h30 da manhã.

Sim, para os que estão habituados a ficar na cama até ao meio dia isto (também já fui dessas, mas tenho a sensação de que foi noutra vida) parece de madrugada, mas acreditem quando vos digo que 8h30 é MUITO bom.

Foi uma manhã vagarosa, almoço em família, sesta depois de almoço (o A. dormiu e eu aproveitei para descansar também) e no final do dia fomos aproveitar o sol e as vistas aqui da vizinhança. Fomos até à Vila de Azeitão passear, esplanar e petiscar qualquer coisa.

Embora ainda nenhum de nós esteja de férias, acho que já estamos no espírito lento do verão e a antecipar as férias e os momentos de descanso que aí vêm. E que venham logo!

IMG_20170730_170431IMG_20170730_173636IMG_20170730_171536IMG_20170730_171826IMG_20170730_174454

Cowspiracy

Já viram o documentário Cowspiracy? Conhecem?

Eu já tinha ouvido falar, mas ainda não tinha visto. Graças a aulas novas que estou a dar este ano e graças às comemorações do dia da Terra, que se realizaram durante o dia de hoje, já vi o filme 3 vezes. 🙂

transferir

Sim, vale mesmo a pena ver. Sim, revela informações importantes e chocantes, sobre as quais não pensamos muitas vezes. Mesmo que não se adopte tudo aquilo que é falado no documentário, mesmo que já estejamos carecas de saber os impactos que o consumo desmesurado de carne tem no meio ambiente, acho que vale a pena ver, nem que seja só para reflectir sobre o que andamos a fazer e qual o impacto das nossas acções na vida de todos os outros seres vivos.

Hoje vários jovens estiveram a ver o filme comigo (e outros tantos já tinham visto) e mesmo que a maioria não queira saber ou tenha muita dificuldade em encarar a realidade (“ah, eu gosto de comer, mas não quero saber como chega até ao meu prato”), o facto de alguns, poucos, terem percebido a mensagem, terem ficado chocados e a pensar no impacto das suas acções, já me deixa feliz.

Vejam! Vejam e depois digam-me se não tenho razão!

Momentos do fim-de-semana

Decidimos aproveitar o bom tempo do fim-de-semana. Pegámos num grupo de amigos, mais as respectivas crianças e fomos explorar duas quintas produtoras de vinhos, com direito a visita guiada e prova dos respectivos vinhos.

Uma das quintas foi a da família José Maria da Fonseca e a outra foi a Quinta da Bacalhôa, propriedade do conhecido Berardo.

O passeio correu muito bem, estava sol, o grupo estava animado (depois das provas de vinhos ainda mais) e as quintas são mesmo muito bonitas. As criancinhas brincaram até se cansarem (e cansarem os pais pelo caminho). Deixo-vos algumas fotos das visitas…

IMG_4581 IMG_4583 IMG_4584 IMG_4589 IMG_4605

Um bocadinho de arte, que isto não pode ser só alcool...

Um bocadinho de arte, que isto não pode ser só alcool…

A foto mais desenquadrada de sempre

A foto mais desenquadrada de sempre

IMG_4627

Tchim-tchim!

Tchim-tchim!

10 anos!

Este mês passam 10 anos desde o dia em que decidi deixar de comer carne ( e este ano passam 10 anos também sobre outros momentos importantes da minha vida. Parece que 2005 foi um ano muito produtivo).

Não, não sou vegetariana, porque continuo a comer algum peixe. Poderia dizer que sou pescitariana, mas para não complicar muito costumo só dizer que não como carne.

Para mim foi uma mudança radical (deixei de comer qualquer tipo de carne de um dia para o outro) e não me arrependo nada. Foi uma decisão bastante consciente e que mudou muito a minha vida, para melhor.

Em jeito de comemoração (sim, 10 anos sem comer carne deve diminuir bastante a minha pegada ecológica. Acho que devia comemorar) deixo aqui algumas «curiosidades» sobre a vida de alguém que não come carne:

A experiência de passar pela secção do talho nunca mais será a mesma (já para não falar em momentos como a matança do porco, porco no espeto, leitão assado, coelho e outras coisas do género).

a46cfe70f992ba7fd6065d25cc041cc6

Explicar a alguém porque não comemos carne pode ser um verdadeiro desafio. Não é raro surgirem perguntas sobre o que comemos afinal, como substituímos a carne, porque motivos deixámos de comer… surge uma verdadeira discussão sobre os motivos éticos, morais, ecológicos, espirituais e afins, que mais parece que estamos num verdadeiro debate filosófico (e, não me levem a mal mas, discutir estes argumentos com alguém que tem algum conhecimento sobre o assunto ou que tenta compreender os motivos dos outros é uma coisa, discutir com pessoal convicto de que todos nós devemos ser omnívoros e que tudo o resto é parvo, é muitoooooo mais complicado). Com os anos fui aprendendo que o melhor é não falar sobre o assunto: ou não digo que não como carne (simplesmente como outras coisas que estejam na mesa e pronto) ou tento não entrar em muitos pormenores sobre o assunto. Geralmente acho graça às várias piadas sobre vegetarianos, tenho algumas para a troca e apresso-me a mudar de assunto. Se a pessoa que me aborda estiver aberta a uma verdadeira e interessante discussão sobre o assunto, e se eu  estiver com disposição, lá entro no debate.

cf535bcdd5d73c3ba679aa77b563be60

 

Ah, e para finalizar um clássico: onde vais buscar a proteína? De um momento para o outro todas as pessoas são especialistas em nutrição e todos sabem os alimentos que têm ou não proteínas e o mal que faz não comer carne (mesmo comendo peixe, ovos e leites. Isso não interessa nada para estes “especialistas”). Assim que dizem que deixaram de comer carne, podem-se preparar para o rol de comentários sobre a vossa má alimentação, todos os problemas de saúde que vão ter por causa da falta de proteínas e como é irresponsável da vossa parte não comer carne.

8684a8378884ac5c15027ea827aa2090

Todos estes mitos e comentários menos informados sobre os vegetarianos ou semi-vegetarianos ou pescitarianos, ou lá o que lhes quiserem chamar, fazem-me rir e acho mesmo que devem ser levados com muito boa disposição, pois no final cada pessoa tem as suas convicções, mais ou menos informadas, e não vale a pena entrar em grandes discussões por causa deste assunto. Já fui mais “radical” do que sou hoje e tento sempre respeitar as opções alimentares de cada um (há por aí cada escolha, senhores). Acho que não tem mal alertar para uma ou outra coisa que pode ser evitada e que, na maioria das vezes, as pessoas desconhecem, mas é só isso. Também não levo a mal os milhentos comentários que recebo por não comer carne. 😉